sábado, 19 de dezembro de 2009

A BAHIA DOS GREGÓRIOS

Olhe o céu dessa Bahia
E diga se não me diz
Se não há neste céu uma magia
Digna de um aprendiz?

Se na Bahia a praça é do poeta
E o chão um dia foi de giz
Traçado e apagado o fiz
Pois a Bahia é uma curva, não uma reta
E longe dela não se pode ser feliz!

A terra de Gregórios e Grigórios
De Monique, Glauber e Gil
Não precisará de endinheirados Caetanos
Nem de baluartes lusitanos
Ou americanos cobiçando o Brasil.

A Bahia de régua e compasso
Da diversidade que a nós abunda
É igual à poesia que faço
Um esquadro sem marca e sem traço
Do nordeste donde o Brasil se funda.



Poema dedicado ao mais baiano dos poetas, o meu "quase" chará Gregório de Matos.

3 comentários:

Leandro de Assis disse...

show de bola

alexcapuano disse...

Salve Grigório,

Poeta Baiano, combinação que é redundante, pois todo baiano é poeta, mesmo sem linhas, letras ou métricas.

Abraços paulistas,
Alex Capuano

bostadebovideos disse...

Olá Grigório, vim retribuir sua visita ao espaço onde jogo as palavras como força de expressão.., sua poesia é excelsa e acutilante e a BAHIA que o acolhe, que já foi de Todos os Santos, na criação de Jorge Amado, deve ser um lugar Idílico para amar e pensar a poesia.
Um abraço de amizade