sábado, 30 de outubro de 2010

AMOR AO MAR

Como suave navegante nosso amor chegou à costa
E encontrado a salvo o naufragado coração
Berrou às ondas e às nuvens que anseiam a imensidão
Do mar profundo onde o silêncio lhe trouxera uma resposta.

As vagas que trouxeram esse errante coração
Noutros tempos navegavam oceanos abissais
Mas as marés as conduziram a belíssimos corais
E à terra firme das estepes em total contemplação.

A leste se encontrava o meu amor tão desejado
Cruzando oceanos, onde meu mar havia sonhado,
As brancas nuvens de tua pele compõem alva harmonia

Entre a areia e o horizonte anseio teu azul profundo
Ó mar do meu amor, tua superfície é o meu mundo
A constelação que a ilumina tem em ti estrela guia.

Um comentário:

Alisson da Hora disse...

Ah, amar o mar, o mar...